E a cada dia ampliava-se na boca aquele gosto de morangos mofando, verde doentio guardado no fundo escuro de alguma gaveta.

sábado, 28 de maio de 2011

Ela andou sumida por uns tempos.
Pegou sua mochila, jogou nas costas e partiu sem rumo, para o desconhecido.
Renovar idéias, esse era seu propósito. 
Andou muito, conheceu muitas pessoas, riu e chorou muito também.
Também percebeu que a essência não sofre metamorfose, mas continua lá, sempre a mesma.
Percebeu que as pessoas mais importantes hoje o serão para sempre.
A única resposta que não conseguiu foi - A caminhada valeu a pena?

Nenhum comentário:

Postar um comentário